Preço do leite dá um salto e só deve regularizar em outubro

Dados do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP, mostram que em julho o preço do leite pago aos produtores subiu pelo sexto mês seguido, batendo recorde. Aumento que se vê no dia a dia do consumidor lá nos supermercados: o preço do leite deu um salto. E não deve cair nos próximos meses. Para chegar a esse resultado, muitos são os fatores.

Seca

O primeiro fator da equação da alta dos preços é o mais baixo nível de chuvas neste mês desde 1931, segundo o ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico). Não há sinais de melhora em agosto. A seca que se arrasta desde o primeiro semestre deixou os pastos estão secos.

Greve dos combustíveis

Em adição à falta de chuvas, a paralisação dos caminhoneiros prejudicou a dieta das vacas. Embora tenha ocorrido na segunda quinzena de maio, a paralisação dos caminhoneiros contribuiu para o aumento do preço do leite como saída para a recomposição dos estoques das empresas.

Alimentação dos animais

Além disso, a dieta restritiva imposta aos animais por causa da escassez de insumos durante os protestos nas estradas gerou queda na produtividade e comprometeu o pico de animais em lactação. A normalização do sistema fisiológico pode levar um ano.

Cotação do produto no mercado

E como se não bastasse, a baixa cotação do leite nos últimos anos desestimulou investimentos e até fez alguns abandonarem o setor. Os estoques nas indústrias estão baixos.

Com este panorama, os preços para os consumidores só devem ter queda a partir do fim da entressafra, em outubro. Já que o preço tem aumentado justamente por ter mais fatores limitadores de oferta neste ano.

E agora, Distribuidor, como manter a vantagem competitiva e a margem de lucro?

A melhor forma de aumentar a margem de lucro não é aumentando preços, e sim, reduzindo custos. E nisso, o Fusion DMS ajuda as empresas, principalmente, quando a tendência, segundo os especialistas, é que a situação de crise não se estabilize até o final do ano. Com a mais robusta solução especialista em gestão de entregas de cargas fracionadas no Brasil, é  reduzir em até 30% os custos logísticos em transporte.

https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/08/seca-e-caminhoneiros-elevam-o-preco-do-leite-para-o-consumidor.shtml

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s